Representação, presente e inação ativa

O que é isto? [Satyaprem pergunta segurando um objeto] Participante 1 – Um livro. Quem te disse que isto é um livro? Participante 1 – Alguém me disse. Eu aprendi. Não me lembro… Isto é um livro porque alguém te disse… Ou não? Ou é um livro? E você, o que é isto? [Ainda apontandoContinuar lendo “Representação, presente e inação ativa”

Processo, natureza, observação e paz

Trago uma pergunta: do que a Consciência precisa para existir? Mas já antecipo: Ela não existe, Ela é. Quando diz “a minha Consciência”, você está exercitando a completa cegueira da sua mente. Porque a Consciência não é a sua, é a Consciência. E, então, nasce uma nova pergunta, detonada pela primeira: para que a ConsciênciaContinuar lendo “Processo, natureza, observação e paz”

O coração do coração, lugar nenhum

Participante – Quero compartilhar algo sobre a pergunta “quem é você?”: ocorre-me que a resposta esteja em algum lugar onde está o coração. E onde está o coração? Minha preocupação é que a mente sempre tenta localizar, concluir. Então, quando dizemos “coração”, isso logo aponta para um conceito – conhecido pela mente. A pergunta “quemContinuar lendo “O coração do coração, lugar nenhum”

Nem divino, nem profano. Isso!

A mente tem, por milênios, construído uma ideia de realidade baseada em pressuposições como, por exemplo, a de que você é o corpo e a mente. Eis o pivô central da ilusão equivocadamente chamada de “realidade”. Baseados na crença de que somos o corpo, o que acontece quando a morte do corpo se dá? Sofrimento.Continuar lendo “Nem divino, nem profano. Isso!”