A raiz do corpo não é sua mãe

Participante – Tenho uma questão: sinto muita dificuldade de desidentificar-me da minha mãe. O que devo fazer? Onde está a sua mãe agora? Participante – No Chile. Onde está o Chile? Veja como a mente propõe problemas. O corpo está acessível diretamente, agora, para que o note. E quando o nota, está implicada a realizaçãoContinuar lendo “A raiz do corpo não é sua mãe”

A inquietação, o descarte e você

O nosso encontro surge de uma inquietação dos seres humanos. Refiro-me assim, de uma maneira geral aos seres humanos, porque não sei se essa é uma inquietação particularmente sua; é possível que não seja. De qualquer forma, estou aqui para trazer à tona essa inquietação. Meu papel é provocar você, até que seja inevitável oContinuar lendo “A inquietação, o descarte e você”

O segredo aberto

Participante – Você falou algo sobre dizermos “sim” para tudo, mas noto que o não também tem uma coisa instintiva de proteção, de resguardo… Claro, isso é correto. Mas quem você está protegendo? Participante – Acontece de às vezes cairmos em situações em que… Quem cai nessas situações? Participante – Eu. “Eu” quem? Quem éContinuar lendo “O segredo aberto”

O indefinível isso

Talvez na sua solitude caseira você não consiga acessar diretamente a observação inerente, e romper esse elo que existe entre quem você pensa ser e os acontecimentos à sua volta. Por isso é fundamental aceder à autoinvestigação: Quem é você? Se quer encontrar a si mesmo, você tem que parar de se identificar com aquilo queContinuar lendo “O indefinível isso”

Agora, nem ontem nem amanhã

Hoje vi um cartoon – não lembro exatamente, mas acho que era do Calvin e Haroldo – em que um dos personagens perguntava para o outro: “Qual é o seu dia preferido?” Ao que o outro respondia: “Hoje. Hoje é sempre o meu dia preferido”. Não é gracioso? Agora, perceba: para onde você tem olhado? O que está acontecendo neste exatoContinuar lendo “Agora, nem ontem nem amanhã”